O 22º Grito dos Excluídos será realizado em todo o Brasil, no dia 07 de setembro


 A vida em primeiro luga!
Este sistema é insuportável: 
Exclui, degarada, mata!

SÃO PAULO

Quarta às 9:00 - 13:00

Para o secretário-geral da CUT Brasília e integrante da Frente Brasil Popular, Rodrigo Rodrigues, é fundamental a participação de todos os sindicatos de trabalhadores e a população em geral neste ato. “Nós da CUT apoiamos esta grande mobilização. Com a consolidação do golpe parlamentar, faz-se ainda mais necessário mobilizar a luta contra

este governo golpista. O governo ilegítimo veio para retirar direitos da classe trabalhadora. Lutaremos até o fim, sem trégua, contra todo tipo de retrocesso”, afirma.

Para a coordenação da Frente Brasil Popular, “Michel Temer subiu ao poder de forma ilegítima e governa apenas para os ricos e poderosos”. Por isso, “quer acabar com os direitos das trabalhadoras e dos trabalhadores do campo e da cidade, das florestas e das águas; das mulheres, das negras e dos negros, dos indígenas, das/os LGBTs, da juventude e das moradoras e dos moradores das periferias”.

Na convocatório para o ato, a CUT e as frentes avaliam que o povo brasileiro sofre cada vez mais com a crise. “E seTemer continuar realizando suas medidas, isso só tende a piorar. Não podemos esperar nada de bom de um governo que não foi escolhido pelo povo. Por isso, os movimentos sociais do campo e da cidade realizam mais um Grito dos/as Excluídos/as. Chamamos aquelas e aqueles que não aceitam os ataques deste governo para participarem.”

Vida em primeiro lugar
Em sua 22° edição, o Grito dos Excluídos deste ano traz como tema “Vida em primeiro lugar – Este Sistema é Insuportável: exclui, degrada, mata!”.

A manifestação reúne, anualmente, diferentes movimentos para discutir, questionar e denunciar as várias formas de desigualdades do país, apontando qual o real papel do Estado diante das exclusões. O Grito dos Excluídos nasceu da necessidade de dar voz ao povo, às minorias e à população historicamente excluída pelo Estado, que somente obedece aos interesses dos ricos, das empresas, dos bancos.

Desde 1995, o Grito é um espaço para que Pastorais e movimentos sociais se manifestem, discutam suas pautas e cobrem direitos já assegurados na Constituição Federal, como saúde, moradia, transporte, trabalho, informação e vida digna e a luta contra a desigualdades social.

Fonte: CUT Brasília


HISTORIA

O Grito dos Excluídos foi realizado pela primeira vez em 1995, com o objetivo de ser um desdobramento da Campanha da Fraternidade sobre os Excluídos. A escolha do dia 07 de setembro se deu porque, nesta data, quando se comemora a independência do Brasil, é importante refletir sobre a soberania nacional, eixo central das mobilizações do Grito. Além de ser momento de festa e celebração, o 07 de setembro vai se tornando um dia de consciência política de luta por uma nova ordem nacional e mundial. Em 1996, já na sua segunda edição, o Grito foi inserido na programação pastoral da CNBB em nível nacional, sendo realizado pela primeira vez em Campinas.
Postar um comentário